sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Cunha de Aiud

Resultado de imagem para cunha de aiud

Este objeto costuma aparecer nas listas de "Out-Of-Place-Artifacts" (OOPARTS)  Artefato fora do local.  Na Referência é informado que a Cunha de Aiud não está disponível para ser vista pelo público ou pesquisadores, e seu paradeiro é ignorado. No entanto, um artigo no Daily Mail de 20/10/2016 informa que o objeto está em exposição no Museu Histórico de Cluj-Napoca. O Museu Nacional da História da Transilvânia ( Romeno : Muzeul Naţional de Istorie a Transilvaniei ) é um museu de história e arqueologia na cidade de Cluj-Napoca , na Romênia. 

Possui uma exposição permanente, bem como exposições temporárias, a exposição "Tezaur" e a coleção História da Farmácia - esta última foi inaugurada na Hintz House , um edifício histórico no centro da cidade. Os inícios do museu datam de 1859 com a fundação da Sociedade do Museu Transilvano , com coleções de antiguidades e espécimes botânicos, zoológicos e mineralógicos. 


A Descoberta 

O único relato que temos sobre a origem da Cunha de Aiud foi escrito por Boczor Iosif, um colaborador de revistas húngaras sobre o paranormal. Segundo este relato, o objeto foi encontrado em 1974 por um grupo de trabalhadores, a cerca de dois quilômetros a leste da cidade de Aiud, Romênia, às margens do Rio Mures. Estava enterrado a uns 10 metros de profundidade, junto com dois ossos de mastodonte. Um mastodonte é uma espécie de mamífero grande e extinta. Fisicamente, o artefato parecia semelhante à cabeça de um martelo. 

A cunha foi supostamente levada ao Instituto Arqueológico de Cluj-Napoca para ser examinada, onde se verificou ser feita de uma liga de alumínio envolto em uma fina camada de óxido. A liga da cunha é composta por 12 elementos diferentes. Este artefato é considerado estranho porque o alumínio não foi descoberto até 1808 e não produzido em quantidade até 1885. O alumínio exige 1.000 graus de calor para ser feito.

Dois acadêmicos, o Dr. Lars Fishinger e o Dr. Niederkorn teriam analisado a peça no Instituto para Pesquisa e Projeto de Metais e Minérios Não Ferrosos, em Magurele, e descobriram que era composta principalmente por alumínio, e estava recoberta por uma espessa camada de óxido. 

Como o alumínio só foi descoberto em 1808, e passou a ser produzido em escala industrial na década de 1880 , criou-se o mistério, pois a presença dos ossos de mastodonte levaria a datação da peça para mais de 10.000 anos atrás. Mas a oxidação da peça indicaria uma idade de cerca de 400 anos, de qualquer modo muito anterior à obtenção do alumínio puro pela nossa civilização. 

A peça foi enviada ao Museu de História, na Transilvânia, onde ficou esquecida por duas décadas. Em 1995, um pesquisador romeno, Florian Gheorghita, descobriu a peça e mandou analisá-la em dois laboratórios diferentes : o Instituto Arqueológico de Cluj-Napoca e um laboratório em Lausanne, Suiça. Os resultados das análises teriam confirmado os valores da primeira análise em 1975. 


Resultado de imagem para cunha de aiud



Análise do Artefato 

O objeto pesa cerca de 2,27 kg (5 libras) e mede aproximadamente 20,3 cm (8 polegadas) x 12,7 cm (5 polegadas) x 7,6 cm (3 polegadas). Estava recoberto por uma espessa camada de óxido de alumínio.

A análise de 1975, feita pelo Instituto para Pesquisa e Projeto de Metais e Minérios Não Ferrosos mostrou a seguinte composição : Alumínio (89%), Cobre (6,2%), Silício (2,84%), Zinco (1,81%), Chumbo (0,41%), Estanho (0,33%), Zircônio (0,2%), Cádmio (0,11%), Níquel(0,0024%), Cobalto (0,0023%), Bismuto (0,0003%), Prata (0,0002%), Gálio (traços). 

Somando todas as porcentagens apresentadas, encontramos 100,9052%, o que é estranho. Como os resultados foram fornecidos até a quarta casa decimal, esperávamos encontrar 100,0000% ou 99,9999%, nunca mais de 100%. 



A Hipótese Alienígena

Como as datações feitas colocam a Cunha de Aiud fora das possibilidades da nossa história tecnológica, ufologistas passaram a defender a hipótese de que se trata de um objeto alienígena. O próprio Georghita teria pedido a opinião de um engenheiro aeronáutico, que sugeriu que a peça poderia ter pertencido ao trem de pouso de uma aeronave.





Na Referência, o autor comenta que o esboço sugerido pelo “engenheiro aeronáutico” não identificado, não levou em conta as duas extensões triangulares do objeto, e não há pivotamento entre o objeto e a haste vertical, necessário no caso de pouso em terreno desnivelado.Os textos chegam a sugerir que o objeto seria parte do trem de pouso de um vimana, a famigerada família de máquinas voadoras da antiga Índia. Para reforçar a idéia de uma antiga civilização perdida, mencionam também coisas como o suposto ataque nuclear à cidade de Mohenjo-Daro. 


Resultado de imagem para cunha de aiud


Muitas pessoas alegaram que o artefato é prova de que estrangeiros visitaram a Terra. Os engenheiros relataram que o objeto se assemelha ao pé do trem de pouso, não muito diferente da tecnologia usada em naves espaciais. 

A comunidade científica acredita que a cunha foi feita na Terra e seu propósito ainda não foi identificado. Devido à quantidade limitada de informações que existe sobre o assunto, a antiguidade e a origem do artefato não são claras. A cunha de alumínio de Aiud não está em exibição para o público e permanece em um local não revelado. No entanto, imagens da cunha existem.

Resultado de imagem para cunha de aiud

FATOS DO ARTIFICIO CUNHA DE AIUD


1. A cunha de alumínio de Aiud (também chamada de objeto de Aiud) é um artefato misterioso de origem incerta na forma de uma cunha, que foi encontrada em um local arqueológico perto da cidade romana de Aiud, presumivelmente perto de um esqueleto de mamute.

É composto por 89% de alumínio coberto por uma camada de óxido espessa. A espessura desta camada de óxido diz ser a confirmação de que o objeto é anacrônico, pelo menos, trezentos e quatrocentos anos de idade.

A cunha de alumínio de Aiud é freqüentemente citada como "prova" de que os estrangeiros visitaram a Terra em tempos anteriores, porque o alumínio era difícil de produzir em quantidade antes de 1825. A maioria dos cientistas, no entanto, acredita que esse objeto é um falso.

2. A cunha de alumínio de Aiud (também chamado de objeto de Aiud) é um corpo misterioso em forma de cunha, que foi encontrado em trabalhos de escavação perto da cidade romana de Aiud. Consiste em 89% de alumínio, que é coberto por uma camada de óxido espessa.

A espessura desta camada é dito ser tão forte como seria colocar mais de um milhão de anos no chão. A cunha de alumínio de Aiud é frequentemente citada como "prova" de que os estrangeiros visitaram a Terra em tempos anteriores, porque não havia possibilidades de produzir alumínio antes de 1825.