quarta-feira, 25 de julho de 2012

A Batalha de Los Angeles


No dia 24 de fevereiro de 1942, vários moradores de Los Angeles viram diversos objetos luminosos não identificados  sobrevoando sobre suas cabeças. O pânico foi geral, e muitas ligações foram realizadas para os serviços de emergência, depois de alguns minutos a cidade de Los Angeles estava sob comando dos militares. Os militares então ordenaram um apagão geral na cidade, na tentativa de identificar melhor as luzes vinda dos objetos voadores não identificados.

A foto acima, que foi capa de todos dos jornais da época, mostra os holofotes dos militares apontados para os Óvnis. Segundo a Aeronáutica, os objetos se locomoviam muito rapidamente a pouco mais de 330 km/h. Em seguida, a artilharia da Marinha posicionou suas armas (canhões anti-aéreos munição de cargas explosivas de 6kg) e começaram a disparar freneticamente nos objetos. Mais de 1400 tiros foram disparados, e apesar disso os objetos voadores não se transformaram em objetos cadentes e nem caíram. Segundo relatos da época muitos objetos pareciam possuir uma especie de escuto protetor.


Cinco pessoas morreram de ataques cardíacos durante o drama, e vários carros e prédios foram danificados pela munição anti-aérea que eventualmente caiu na cidade abaixo.
No dia seguinte as afirmações das autoridades foram conflitantes. Alguns alegaram ser nada além de um “alarme falso provocado pelo nervosismo da guerra”, sem elaborar sobre a identidade dos objetos. Outros falaram que eram balões japoneses, sem explicar como é que balões se movimentariam a 330 km por hora.
Após mais alguns comentários incongruentes, os militares decidiram pedir  desculpa oficial seria que os objetos eram aeronaves japonesas designadas pra sobrevoar o céu de Los Angeles, com o objetivo de causar medo em solo americano e abaixar a moral do país. 
O que  não faz sentido é como é que   aviões  sobreviveriam por várias horas de bombardeamento pesado sem fazer manobras de defesa  ou de reação continuavam sobrevoando. 
O governo japonês negou envolvimento com o mistério na época, e continua fazendo isso até hoje?