terça-feira, 25 de dezembro de 2012

OVNI do Mar Báltico?




Um grupo de investigadores suecos mergulharam nas profundezas deste mar para resolver o mistério assim chamado de "anomalia do mar Báltico," um estranho objeto circular de uns 60 metros achado ali no verão de 2011. Está localizado entre a Suécia e a Finlandia, o grupo que o encontrou estava em busca de um cargueiro ali naufragado.

O objeto permanece ainda sob investigação de um grupo de oceanógrafos.
O OVNI do Mar Báltico continua na pauta dos jornais. De acordo com o portal Fox News, cientistas suecos planejam explorar um mistério, que mais parece ter saido do seriado de ficção científica Arquivo X, mas ao invés de Mulder e Scully, esta aventura apresenta os pesquisadores suecos Peter Lindberg e Dennis Asberg. Eles também sabem que a verdade está lá fora – e em poucos dias pretendem visitar o que eles chamam de “Anomalia do Báltico”.
 
 
                                                                    imagem ilustrativa
 
 
No verão passado, durante uma caçada ao tesouro, entre a Suécia e a Finlândia, a dupla de pesquisadores e seus associados fizeram manchete em todo o mundo com a descoberta de um objeto não identificado de 61 metros, no fundo do Mar Báltico. Agora, uma equipe de oceanógrafos, engenheiros e mergulhadores de águas profundas irão retornar ao local, para uma expedição de cinco dias. Eles querem descobrir de uma vez por todas o que este objeto realmente é.
Lindberg disse: “Nós não sabemos se é um fenômeno natural, ou um objeto. Vimos isso no sonar quando estávamos à procura de um naufrágio da Primeira Guerra Mundial. Este objeto circular apenas apareceu no monitor”.
 
 
Ovni no fundo do Báltico? Foto/crédito: Peter Lindberg.
 


A descoberta foi notícia no mundo inteiro, e resultou na cobertura da imprensa popular, até a imprensa científica e por toda blogosfera. Muitos especulam que a descoberta foi de um objeto voador não identificado há muito tempo perdido (OVNI), que caiu no mar – evocando de alguma forma o personagem de Duchovny – o agente do FBI Fox Mulder, caçador de extraterrestres e ovnis da série televisiva Arquivo X, mas Lindberg disse, que se a verdade estiver lá fora, ele pretende descobrir.

Lindberg e sua equipe se utilizarão do sonar para fazer imagens em 3D do fundo do oceano, mas, além disso, vão enviar mergulhadores e um robô equipado com câmera e irão recolher amostras do fundo do mar para medi-los tanto para toxicidade como para radiação. Lindberg está disposto a especular sobre as possibilidades. De acordo com o que disse ao Fox News, os detritos poderiam ser de um meteoro, mas também poderiam ser os restos de um navio de guerra russo do final do século 19.

“Eu não acho que seja uma formação de pedra comum, ou a carga que tenha caido de um navio”, disse Lindberg. “Mas pode ser um monte de coisas. Se não é causado pelo homem, e foi feito por outra forma de vida inteligente, seria muita sorte. Eu nunca ganhei na loteria antes”.

Seu colega de equipe Dennis Asberg, concordou. “Se este fosse um Ovni, seria de fato uma coisa estranha”. Ele também especula que poderia ser um poço de gás encontrando, ou os restos de um meteoro. “Eu não estou certo”, disse ele. “Mas vamos ver em breve”.

Outros afirmam que o objeto, localizado a 91 metros abaixo da superfície do mar Báltico, pode ser uma formação natural, ou até mesmo um vulcão emergindo. No início deste ano, Lindberg disse à imprensa que achava que esta descoberta pode ser um novo “Stonehenge”.

A tripulação de Exploração inclui 13 pesquisadores, incluindo um especialista em sonar, e uma equipe de filmagem da TV sueca que irá documentar o evento. Lindberg disse que está em negociações com a Microsoft para ver se o evento pode ser realizado ao vivo na Internet, a partir do local remoto em águas internacionais através de um “streaming” de vídeo.
 
Segundo o jornal sueco www.aftonbladet.se, apesar do local do achado ter sido mantido em segredo pela equipe dos descobridores, neste momento estaria ocorrendo um exercício militar entre as forças armadas dos EUA e da Rússia na região, o que impede a entrada dos exploradores na área aonde o misterioso objeto se encontra.