terça-feira, 2 de outubro de 2012

Militares Brasileiros


 
 
Alguns dos aspectos mais importantes do Caso Varginha estão relacionados a este ser que, segundo os depoimentos, foi conduzido após a captura para o Hospital Regional do sul de Minas, situado no centro da cidade, e horas depois transferido para o Hospital Humanitas, onde acabou por falecer. Segundo testemunhas civis e militares, todos os esforços foram efetivados para mantê-lo com vida. Além da testemunha que conheci pessoalmente, cuja gravação do depoimento em vídeo fui o responsável, Ubirajara e Pacaccini conseguiram outro relato, também gravado em vídeo, sobre esse aspecto do caso. O depoimento foi prestado por outro soldado do Exército, que também participou do comboio responsável pela retirada da criatura da cidade. Através dessa fita, pudemos ver que o militar estava visivelmente abalado com o que presenciara.

Como outras, essa testemunha militar também estava visivelmente aterrorizada e não fez questão alguma de esconder isso em seu depoimento aos ufólogos. Tais militares descreveram as criaturas da mesma maneira que Liliane, Valquíria e Kátia, dando ainda mais credibilidade aos depoimentos civis.

Confirmaram a participação na operação de retirada da criatura do Hospital Humanitas, entre outros soldados, o capitão Ramirez, o tenente Tibério, o sargento Pedrosa, os cabos Vassalo e Welber, e o soldado De Melo. Estava ainda presente, segundo nossas fontes militares, no interior do próprio hospital, o tenente-coronel Olímpio Vanderlei Santos, que comandou as operações.

Fala-se também que o general Coelho Lima emitiu uma ordem proibindo os militares de falarem ou entrarem em contato com qualquer ufólogo brasileiro. Porém essas medidas não impedirão que os outros detalhes chegassem aos pesquisadores.

Essa informação sugere que há envolvimento do governo ou do exército dos EUA no caso. Acredita-se que um norte-americano esteve presente na manhã do dia 20 de janeiro, quando a criatura foi capturada. Na última hora daquele dia, um avião de transporte C-5 ou C-17 da USAF foi visto no aeroporto de São Paulo. Dois dias depois, no aeroporto de Campinas, perto da Universidade, para onde supõe-se que a Segunda criatura tenha sido levada, o mesmo avião apareceu. As duas criaturas, uma morta e outra viva, teriam sido levadas para os EUA?

Existem mais evidências do envolvimento dos EUA. Em abril de 1996, Luíza Silva, mãe de duas das meninas que viram a Segunda criatura, disse que 4 estrangeiros a visitaram em sua casa. Os homens, ofereceram-lhe uma "grande soma" para que convencesse suas filhas a mentirem sobre o episódio. Quando a Sra. Silva se negou a fazê-lo, os homens prometeram voltar e foram embora em um Lincoln azul de 1994.

Segundo fatos levantados pelos ufólogos, esta segunda criatura também foi conduzida, tal como a primeira, para a Escola de Sargentos das Armas. E na madrugada de 23 de janeiro ambas teriam sido levadas por um outro comboio para a cidade de Campinas (SP).

Após passarem pela Escola Preparatória de Cadetes do Exército, foram transferidas para a Universidade de Campinas (Unicamp), onde pelo menos uma delas foi entregue ao médico legista Fortunato Badan Palhares.

Mas apesar de termos duas testemunhas civis que garantem inquestionavelmente o envolvimento de Palhares, ele continua negando publicamente qualquer forma de envolvimento com a história, o que não pode ser considerado uma surpresa.

Com o passar de algumas semanas, outras criaturas apresentando os mesmos aspectos foram aparentemente encontradas por civis, em diferentes pontos da região. A primeira delas foi detectada pela senhora Terezinha Gallo Clepf, esposa de um dos políticos mais conhecidos da região, durante uma festa realizada no Restaurante Paiquerê, que fica dentro do Zoológico de Varginha, na noite de 21 de abril. Dona Terezinha informou que a criatura apresentava olhos grandes de cor avermelhada, aparentemente sem pupilas e luminosos. Sua boca não passava de um pequeno traço horizontal. Praticamente, não dava para se notar o nariz e a pele do ser tinha uma coloração marrom escura. Apresentava ainda um capacete dourado envolvendo sua cabeça, que a diferenciava dos seres capturados. O suposto ET estava totalmente imóvel. Seus olhos, entretanto, abriam e fechavam. Ainda segundo dona Terezinha, aquele ser estava a apenas 5 m de distância da varanda do restaurante, para onde havia se dirigido sozinha.

Sobre forte impacto emocional, ela entrou no salão onde era realizada a festa e pediu para seu marido levá-la embora, só revelando mais tarde sua experiência. Curiosamente, nos dias que antecederam o acontecimento, morreram de maneira misteriosa, no mesmo zoológico, vários animais que, apesar de terem suas vísceras estudadas, não se sabe do que morreram. “Não foi encontrado qualquer sinal que justificasse o acontecido”, declarou Ubirajara.

Em maio de 1996, poucos dias depois do incidente com dona Terezinha, mais uma criatura apresentando semelhança com as anteriormente descritas foi avistada, desta vez aparentemente tentando atravessar a estrada que liga Três Corações à vizinha Varginha. A testemunha foi o estudante Ildo Lúcio Gardino e o encontro aconteceu quando ele passava com seu carro bem em frente à propriedade de onde o casal Eurico e Oralina teve o avistamento de uma nave em forma de fuso, no mês de janeiro.

Nenhum comentário: